Um testemunho de como é possível destruir esta terrível doença e ser FELIZ!

.Desabafos recentes

. Vitória

. Feliz

. Dias bons

. Sobretudo medo

. Sobretudo medo

. Aprovada

. O tempo não chega

. Para a frente é que é o c...

. É agora ou nunca

. Indefenida

. O lobo

. Hoje

. Conclusão da consulta

. Com certezas

. Férias

. Aqui... Jamais fingirei

. O início do fim

. Eu mando

. Por favor

. Ao acaso

. Aprender

. Caminhar

. É mesmo possível

. Quem disse que era fácil?

. Mais um passo

.Arquivos

. Junho 2011

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.Outros Blogs

blogs SAPO

.subscrever feeds

Quarta-feira, 25 de Junho de 2008

Aprovada

Desculpem ontem não ter dito nada. Ontem fiquei o tempo todo a sentir-me mal por isso mas não tive tempo. Hoje fui a Coimbra por isso só estou a escrever agora. Obrigada ! Sinto-me tão acarinhada por vocês, nem sei como agradecer. Fazem-me sentir especial =) Fui logo chamar a minha mãe para ler e ela disse “Até quem não te conhece nem nunca esteve contigo vê como tu és uma menina querida e boa pessoa” Só há um pequeno pormenor. Embora nunca tenho estado fisicamente com nenhuma de vocês fazem parte do meu coração e conhecem-me melhor que muita gente!

 

Não cheguei a ler as vossas mensagens previamente mas senti! Juro que sim! Quando começava a desanimar lembrava-me de vocês e do que diriam se ali estivessem e isso dava-me força para acreditar e continuar. Sabia que estavam a torcer por mim e isso faz-me sentir tão contente

 

Só a minha mãe é que sabia porque pensava que tinha dito o dia exacto ao meu pai, mas diz que foi melhor não saber para não ficar a pensar no assunto. A primeira pessoa a quem mandei mensagem foi à minha mãe. Ela disse “Vês querida! Eu sabia que conseguias!”, depois mando ao meu pai e ele liga-me logo todo animado a dar-me os parabéns. Ele achava que precisava de mais tempo para me preparar mas desde o início que disse se chumbasse não tinha importância. Sou uma filha muito afortunada  Os meus amigos que os conhecem dizem que tenho muita sorte mas que não sei dar valor. Eles não sabem é o quanto sofria por vê-lo sofrer tanto comigo era das coisas que me deixava mais em baixo. Perguntava-me muitas vezes, já que não fosse por mim, porque é que não conseguia mudar por eles.

 

Queria dar-me ao prazer de sentir orgulhosa. Se calhar nem tanto, mas mais contente! Sinto que ter passado é uma obrigação e não um motivo de satisfação. Quando acabei de responder a todas faltavam 19 minutos para terminar o tempo. Comecei a rever e a pôr em causa tudo o que sabia e a querer alterar as respostas. Quanto mais se aproximava o fim mais em pânico ficava e ainda alterei uma pergunta. É claro que não devia ter alterado porque tinha bem! Portanto, soube logo que já tinha errado uma. Ficámos imenso tempo à espera de saber e entrei literalmente em pânico, já só podia errar mais duas. Comecei a insultar-me, tinha noção do que estava a fazer mas não fui capaz de evitar, estava demasiado desiludida comigo, e a tremer, nem consegui controlar as lágrimas estava tão nervosa. Felizmente que correu bem mas não me consigo dar os parabéns.

 

Quanto à alimentação está boa, mas continuo muito inchada o que me “impede” de comer. Não sei se tem a ver com a retenção de líquidos. E se for mesmo a minha barriga? A médica diz para descentrar a minha atenção e virá-la para as coisas do dia-a-dia.

Mas em relação ao controlo também não consigo sentir-me plenamente satisfeita com esta vitória, porque sei que o facto de ter passado a semana sempre fora de casa ajudou para que conseguisse.

 

Tenho de deixar de ser tão rígida comigo.

Publicado por Aninhas às 23:07
Link do post | Comente | Adicione aos favoritos
11 comentários:
De cris a 26 de Junho de 2008 às 15:53
Muitos parabés!
Desculpa não ter vindo aqui deixar uma mensagem de boa sorte, mas tinha-me lembrado de ti. Fico muito feliz que esta etapa já esteja ultrapassada.

Em relação à "barriguinha" percebo muito bem a insatisfação que dá senti-la maior do que gostariamos. Também é o meu "ponto fraco" em termos de imagem corporal. Mas a tua médica (e a nossa querida Joana) têm razão. Tenta não te concentrares nela. Comigo às vezes resulta usar roupa que não me deixe sentir apertada. Dessa forma sinto-me mais magra e, por isso, com mais necessidade de comer mais. Às vezes estes "truques" contra nós próprias (ou melhor, contra a doença) ajudam-nos a sentir mais tranquilas e a seguir mais facilmente o plano.

Só queria dizer-te mais uma coisa. Quando dizes que não é exactamente uma vitória o teres conseguido "estar bem" a nível de alimentação, por isso só ter acontecido por teres estado fora de casa, não concordo. Acho que é uma vitória tão merecedora do nome como seria se tivesses conseguido estando em casa. O estares a ser forte não tem que significar estares confortável com todas as situações, mas antes mostrares inteligencia suficiente para "fugires" das situações que te causam maior ansiedade. Se a solução para conseguires resistir a crises, neste momento, passar por estares fora de casa, então não te sintas fraca por isso. Pensa num caso "curriqueiro" da tua vida. Por exemplo, imagina que partiste uma perna. Achas que serias fraca por andares de muletas, para cehgar a um determinado sítio? Não, serias fraca era se quizesses andar em cima da perna partida e causasses danos mais graves. Aqui é a mesma coisa. As "defesas" que usamos para "fugir" a esta doença, são as nossas muletas. Quando "cicatrizar" não precisaremos mais de as usar.

Um beijinho grande para ti e parabéns pelos pais que tens. Tenho a certeza de que és merecedora deles.
De mashtita a 26 de Junho de 2008 às 16:16
Boa, boa! (imagina que tem um carro lá dentro!! ). Que bom.

Quanto ao que sentiste, acho que faz parte de um padrão de quem tem dca. Altíssima exigência connosco mesmas.. Sentimos as vitórias como banais/obrigações e qualquer dificuldade que surja atira-nos para baixo violentamente.
Mas olha, o que conseguiste foi muito bom :) Parabéns!

De Aninhas a 27 de Junho de 2008 às 01:04
És tão querida =)

Muito obrigada pela força!
Um grnd beijinho
De Aninhas a 27 de Junho de 2008 às 00:37
Não tens de pedir desculpa!
Deixaste-me com uma lágrima no canto do olho. Acho que tens razão, mas custa tanto aceitar… Só consigo dar valor a um 20 porque um 19 não tem o mesmo significado. Só dou valor a um dia de controlo se o passar fechada em casa massacrando-me e mantendo-me imutável. Ter passado sem nenhuma resposta errada também não tem o mesmo valor que ter errado uma. Depois de ler o que escreveste senti que não merecia tanta atenção e afecto da tua parte. Faz tudo da mesma perspectiva. É uma prisão!

É curioso que tenhas dado esse exemplo. Tive uma doença que me obrigou a andar de muletas e depois de ser operada tive de reaprender a andar. Na altura foi para mim difícil aceitar que dependia delas para qualquer coisa. Sentia-me uma inútil por não conseguir ser independente e desafiava o meu pé para sentir que era forte. Mas não é o sofrimento que faz de nós mais forte, mas o modo como encaramos a causa do sofrimento. Acho que já sofri muito por todos os problemas de saúde que tive, não relacionados com esta doença, mas acho que não tirei proveito disso porque nunca lhes quis dar importância. Talvez devesse ter dado. Sempre quis ser mais forte do que realmente sou e nunca quis parecer que não fosse. Acho que, pela primeira vez, estou a conseguir perceber alguns comportamentos de desprezo que tive pelo que aconteceu. Talvez devesse ter sido mais compreensiva comigo e não ter exigido tanto. Quis ser mais forte do que era. Afinal era só uma criança, uma pré-adolescente e mais tarde uma adolescente com medo. Não faz mal ter medo…….
Estou a despertar sensações que ficaram recalcadas no subconsciente. É incrível como a mente funciona, bastou falar no assunto nesta altura de descoberta para despoletar isto. Tenho medo de pensar neste assunto. Acho que vou deixar para uma consulta. Estou a ficar confusa.

Obrigada por me abrires os olhos e me permitires ver com clareza as pedras que os pensamentos me põem no caminho.
De cris a 27 de Junho de 2008 às 14:38
Tontinha! Claro que és merecedora da minha atenção e de toda a atenção que as outras meninas te dão.
Estamos todas juntas nesta luta e queremos todas chegar à mesma meta, juntas!
Tenta dar mais valor a ti própria. Porque o tens. Nestas doenças é dificil gostarmos de nós próprias, mas temos que tentar. Temos que pensar que devemos ser as nossas melhores amigas porque somos nós que estamos 24 sobre 24 horas conosco.

Um beijinho grande
De Aninhas a 27 de Junho de 2008 às 23:43
=) Tens razão

Beijinho

Comentar post

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Dados gerais

Tive uma anorexia nervosa com crises bulímicas tratada e cuidada no HUC, onde ainda estou a ser acompanhada. Consegui atingir todos os meus objectivos, sou feliz e deixo aqui o meu testemunho em como é POSSÍVEL acabar com todo o sofrimento e dor que esta doença me trouxe.

.tags

. todas as tags

.Dos que mais gosto

. Feliz

. Férias

. Para ti... sorrio

. Conclusão da consulta

. Sofrida

. É agora ou nunca

. O lobo

. Mudar de vida

. A vida que eu levo

. Pensamentos contraditório...