Um testemunho de como é possível destruir esta terrível doença e ser FELIZ!

.Desabafos recentes

. Vitória

. Feliz

. Dias bons

. Sobretudo medo

. Sobretudo medo

. Aprovada

. O tempo não chega

. Para a frente é que é o c...

. É agora ou nunca

. Indefenida

. O lobo

. Hoje

. Conclusão da consulta

. Com certezas

. Férias

. Aqui... Jamais fingirei

. O início do fim

. Eu mando

. Por favor

. Ao acaso

. Aprender

. Caminhar

. É mesmo possível

. Quem disse que era fácil?

. Mais um passo

.Arquivos

. Junho 2011

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.Outros Blogs

blogs SAPO

.subscrever feeds

Quarta-feira, 4 de Junho de 2008

Conclusão da consulta

Esta consulta soube que nem ginja! Fez 2 meses que lá não ia. Nunca fiquei tanto tempo sem lá ir desde que estou decidida a andar para a frente.

Ver se consigo transmitir o que me foi dito. Acho muito importante.
 
A minha médica deu-me este exemplo:
Um miúdo foi velar com o pai pela primeira vez e ficou muito assustado porque o barco parecia que ia virar. Ele chorava muito e o pai disse-lhe:
 
- Olha lá, mas tu és parvo? Tu não vês que é mesmo assim? Não sejas mariquinhas e comporta-te!
 
O que é que vai acontecer a esta criança?
Sempre que voltar a sentir este medo vai recusá-lo e mostrar-se inseguro e punir-se pelos seus sentimentos. Vai crescer com insegurança, intolerância e vergonha. Não vai aprender a ter compaixão com ele mesmo porque aprendeu que está errado ter medo.
 
O que devia ter acontecido:
O pai devia baixar-se olhá-lo nos olhos e dizer-lhe:
 
-Não precisas de ter medo, o barco não vai virar, é mesmo assim.
 
Deste modo, a criança não ia sentir vergonha dele próprio e iria receber atenção e compreensão da parte do pai e tornar-se uma pessoa segura.
 
Conclusão da conversa:
Se não tivemos uns pais, ou por alguma razão não conseguimos desenvolver a parte do nosso cérebro que nos permite ser confiantes e capazes de enfrentar os obstáculos temos de aprender isso agora.
 
De que maneira? 
 Temos de ser para nós como seriamos para um filho nosso.
  • Compreensivos;
  • Calorosos (aprendermos a ter compaixão connosco);
  • Firmes;
  • Espertos (pensarmos primeiro em toda a situação e perceber porque errámos);
  • Transmitir segurança;
  • Saber ouvir.

Isto permite despertar o stress positivo necessário para nos deixar em alerta e enfrentar os problemas sem medo e com segurança nas nossas capacidades.

Se conseguir fazer isto vai ser meio caminho para me aceitar e começar a dar valor aos pequenos grandes passos que tenho conseguido. É essencial. =)

 

A médica deu-me exemplos de pais de doentes que não deviam sequer ter direito a tal nome e depois vêm os filhos parar àquelas consultas! São pessoas tão inteligentes, com tantos princípios, totalmente dedicadas aos outros e ainda são tratadas como maluquinhas ou coitadinhas por andarem num psiquiatra e psicólogo. Doidos são os pais, muitos deles têm problemas muito mais graves do que os filhos.
Falou-me de pais que puseram os filhos fora de casa, que lhes batem é incrível! Numa altura em que os filhos precisam tanto dos pais é quando lhes dão com os pés. A médica também disse que não vale a pena estar com pessoas que só nos fazem mal e não nos querem. É triste mas é mesmo assim. Muitos deles são os culpados dos filhos estarem doentes e só sabem pioram o estado deles. Mas graças a Deus que nem todos são assim como é o meu caso. Sempre me apoiaram e adoram-me, são tudo na minha vida. Sei a sorte que tenho e dou muito valor a isso! Sempre pude contar com eles, mesmo depois de tudo o que lhes fiz. Sinto-me uma preveligiada. Pena não ser assim com toda a gente.
Publicado por Aninhas às 23:26
Link do post | Comente | Adicione aos favoritos
5 comentários:
De o_meu_outro_eu a 5 de Junho de 2008 às 08:32
Deixo-te só um Bom Dia! Cheio de luz e de força interior.
Se os teus pais são assim, tu mereces. E muito.

Um beijinho com carinho de quem gosta muito de ti
De AB a 5 de Junho de 2008 às 11:31
Sim meu outro eu: a Aninhas merece sim!, MAS TU TAMBÈM MERECES! tua mae só deve estar perturbada e a precisar de mais ajuda do que tu! e pf tenta ver se a tua piscologa consegue envolve-la numa terapia familiar.
Não vais assacar culpas que nao tens!
já bastam as nossas culpas que sao muitas, demais até! não chames mais culpas pf!
tu tens sido uma filha formidavel, uma irma maravilhosa, que se priva de tanta coisa material pk sente o peso do que gasta na comida, és justa, inteligente, equilibrada, alturista como mt pouca gente neste mundo.. linda por dentro e na certa por fora, mas isso já sei que colide com a doença e é trabalho para profissionais.. sentes que és o contrario de tudo isto.. vais precisar que te ajudem a levantar, a pegar na mao e a caminharem ctg com todo o carinho que mereces..
tou aqui sempre..um bj e um abraço mt apertado!

Comentar post

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Dados gerais

Tive uma anorexia nervosa com crises bulímicas tratada e cuidada no HUC, onde ainda estou a ser acompanhada. Consegui atingir todos os meus objectivos, sou feliz e deixo aqui o meu testemunho em como é POSSÍVEL acabar com todo o sofrimento e dor que esta doença me trouxe.

.tags

. todas as tags

.Dos que mais gosto

. Feliz

. Férias

. Para ti... sorrio

. Conclusão da consulta

. Sofrida

. É agora ou nunca

. O lobo

. Mudar de vida

. A vida que eu levo

. Pensamentos contraditório...