Um testemunho de como é possível destruir esta terrível doença e ser FELIZ!

.Desabafos recentes

. Vitória

. Feliz

. Dias bons

. Sobretudo medo

. Sobretudo medo

. Aprovada

. O tempo não chega

. Para a frente é que é o c...

. É agora ou nunca

. Indefenida

. O lobo

. Hoje

. Conclusão da consulta

. Com certezas

. Férias

. Aqui... Jamais fingirei

. O início do fim

. Eu mando

. Por favor

. Ao acaso

. Aprender

. Caminhar

. É mesmo possível

. Quem disse que era fácil?

. Mais um passo

.Arquivos

. Junho 2011

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.Outros Blogs

blogs SAPO

.subscrever feeds

Sábado, 31 de Maio de 2008

Férias

Tenho boas noticias mas não me preenchem. Estou de férias (mas não me sinto), acabei o ano com todas as disciplinas feitas com as melhores notas da turma. Só me resta pedir transferência de curso. O primeiro critério é ter o maior número de disciplinas feitas e o segundo (se houve empate) conta a melhor média. O ano passado havia 2 vagas, entraram com 12 e 13 cadeiras feitas. Eu vou concorrer com 14 por isso tenho esperança. O problema é se os critérios mudam este ano, como estão sempre a mudar… Segunda-feira vou à secretaria, ainda não tive coragem de ir mais cedo. Venho de lá sempre desconcertada, tenho tanto medo de não conseguir! A minha vida depende disso. Não posso continuar pelo terceiro ano consecutivo neste curso.

Outra boa notícia é que vou começar a tirar a carta de condução para a semana. É outro objectivo acompanhado de uma grande insegurança.
A alimentação até à última frequência foi caótica. Foi tornando-se cada vez pior. Entregava-me a ela pensando que era só mais uma vez, mas apercebi-me que estava a entrar outra vez num túnel sem saída. Tenho de voltar a trás enquanto posso. Não quero isto. Tenho medo que não consiga porque vou estar muito tempo de férias só com a carta para tirar. Vai ser uma luta constante e não me sinto com forças para lutar. Os meus pais começam a exigir de mais, não ajudam em nada! Tem sido uma guerra pegada. Estou absolutamente desmoralizada.
 
Sinto-me envergonhada com a minha escrita, mas tenho necessidade de deixar registado.
Publicado por Aninhas às 01:04
Link do post | Adicione aos favoritos
De Joana a 1 de Junho de 2008 às 17:01
Olá, Aninhas =)
Eu sou a Joana. Muito gosto!

Não sei se te recordas, mas eu retribuo (e desbafo muito) no blog da Cris (respondeste a 1 comentário do meu irmão Diogo).

Também sofro de anorexia...
Não te conhecia. Gostei muito do que escreveste e tocou-me bastante o tom das tuas palavras.
Muito obrigada.
Eu sou seguida por profissionais, e estou empenhada em recuperar da doença e de tudo o que me foi retirado.

Peço desculpa se te estiver a invadir, mas penso que percebo minimamento o que pensas, sentes e experiencias.
No que concerne à vida profissional, estudo medicina (muitas vezes duvidei se poderia vir a ser 1 boa profissional de saúde). Mas apesar dos pesares, vamos ser grandes profissionias de saúde, e melhores pessoas. Não concordas? Tudo isto há-de ter 1 lado bom.
Sei que o teu sonho de vida é ser enfermeira e só posso ficar imensamente feliz por isso! É uma maravilha haver profissionais de saúde como tu.

Minha querida, possuis todos os atributos para seres 1 extraordinária enfermeira, e tens feito o possível para "legalmente" te tornares 1. Acho que já és, pela ajuda, sensibilidade e compreensão que dás a 3os. Isso é ser enfermeira =)

Vais conseguir o que desejas, acredito em ti. Fizeste o melhor que podias, as melhoras notas da turma (com todos os preçalços que estão subjacentes ), vais mudar de curso, tenho a certeza absoluta.

Nós funcionamos por metas/objectivos e nem sempre isso é positivo. Também falo por mim. Estamos sempre preocupadas com o depois, o e se?... :/ Não pode ser!
O agora é que conta, o que vier depois para já não é bom nem eficaz. Preocupemo-nos com o agora. A Cris tem razão, + tarde vamos estar preocupadas com o emprego e depois se estamos a ser boas profissionais ou não, havemos de ter sempre qualquer coisa que nos consuma e não pode ser!Se estivermos constantemente a pensar no que pode acontecer ou não, vamos ser sempre infelizes, preocupadas e frustradas. Sei que não queremos isso, mas é difícil ver com todo o nevoeiro... Mas somos capazes. Tu és muito capaz. Acredita, acredita, por favor...
Eu acredito.

Aninhas: tens tanta força! Mas achas que não, não acredites no que sentes, nós vemos de forma desfocada, não somos nossas amigas, e já chega.

Vamos lutar, mesmo quando é quase insuportável e achamos que não conseguimos ir além. Não desistas, por favor.

É de facto muito difícil, moroso e dolorido. Mas o que queremos da vida é brilhante, feliz e eterno, não te percas disso.

Estamos todas juntas, sempre. Temos a AB que é tão querida, sábia e que serve de exemplo para todas nós. Sempre! É possível sair desta vida, do tudo ou nada.
Não somos isto. Não te deixes cair, estamos todas contigo.

Adorei o que escreveste ao longo da doença e ainda + o que escreves agora, numa fase mais racional. È simplesmente delicioso. Não esqueças o que queres e quem és , é isso que te define.

Sei que podes ser muito para além do que conheces de ti, mas quero que saibas que pelo que escreves e descreves de ti, és uma enfermeira e pessoa maravilhosas.

Desculpa pelo que escrevi da 1ª vez que aqui escrevi , mas fico muito emocionada. Podes achar que digo por dizer, mas não, garanto-te, falo com o coração. Vais ficar óptima, feliz e segura de ti, Aninhas. Não somos isto. Não somos!!!

Desejo-te o melhor.
Beijinhos,
Joana
De AB a 2 de Junho de 2008 às 15:51
Olá Joana, ola Aninhas.. e ola a todas..
às duas que estão na area da saúde (não é essa a m area profissional, mas olhem que qdo saí do internamento saí com uma vontade enorme e força quase para tirar um 2º curso..eheh), façam se puderem desta doença uma mais valia para a vossa vida futura. Acredito que, com as vossas hiotorias, vão poder humanizar mais a medicina e enfermagem e, nesta area especifica da psiquiatria, prestarem um apoio especializado mesmo quem sabe, mesmo que nao tirem esta especialidade... poderão colaborar na investigaçao, na ajuda especializada e tb Amiga a estas doentes, no dia a dia na rua se necessario.. e tao bom termos por perto um medico dizer "eu compreendo o teu sofrimento"...!
Um bj às duas e já agroa imaginem o seguinte: se estão a triar as melhores notas com a doença, imaginem só se nao tivessem a doença??!! como um dia me disse um antigo prof meu de faculdade (que nunca soube da doença e só a soube qdo nos tornamos amigos há poucos anos): uma coisa é tirar um curso sem a doença, outra com a doença.. só o tirar o curso (não pelo "dr" claro, pk p mim estatuto nunca foi importante, eu qdo entrei na faculdade até dizia para mim "tenho que tirar isto nem que seja para morrer a seguir", pk tinha que testar as minhas capacidades, pk era algo que sempre quis antes da doença aparecer e que ela nao me podia impedir de tirar) é um sinal de força enorme e é essa mesma força que nos vai fazer sair da doença...
Para outras pessoas, nao é o curso, mas será outro tipo de objectivo, o que interessa é termos sempre um objectivo que nos desvie da doença..
e um dia sim vao todas sair disso sim!!! Acredito em voces mesmo sabendo que nao acredita, como eu tb nao acreditava em mim, até ao momento em que deixei de pensar que nao conseguia, deixei de pensar por mim e ENTREGUEI por completo meu pensamento, minha vontade doente nas maos de quem sabia (medicos durante o internamento).. e deixei que eles pensassem, decidissem e até QUISESSEM por mim... momentaneamente deixei de ter kk tipo de pensamento e quis mm deixar de te-los pk eu sabia que eles eram todos de negaçao.. entao mais valia que pensassem por mim... desculpem nao sei se me fiz explicar..
De Aninhas a 3 de Junho de 2008 às 19:58
Claro que te conseguiste explicar.

Faz bem ler o teu testemunho. Acho que tens razão temos de nos entregar cegamente aos médicos e fazer o que nos pedem sem olhar para trás. Acho que qd conseguir fazer isso serei capaz de ser livre e ficar em paz. Quero fazer isso mas tenho medo de passar de uma doença para a outra. Quando voltou para casa voltou a ter compulsões? E teve de ganhar força para vencê-las ou pararam naturalmente? E só parou com elas quando tudo o resto estava resolvido? São dúvidas permanentes na minha cabeça. O meu maior medo é engordar e continuar com esta alimentação.

Quando dizes que se conseguimos tirar boas notas com esta doença o que faria se não a tivéssemos não conseguido dar valor porque sei que tenho outras facilidades em relação aos meus colegas. Como o facto de estar em casa dos meus pais com todas as mordomias e ter menos 3 cadeiras que os meus colegas. Mas quando eles me desprezam e dizem que se fossem eles também conseguiam estes resultados eu fico triste e só me apetece dizer “não falem do que não sabem, porque não sabem nada a meu respeito. Estão a ser muito injustos”. Consigo dar muito mais valor a uma de nós ter um notão do que eu.

Estou sem paciência para rever o texto… desculpa estou cansada.
Beijinho grande e muito obrigada por me “ouvires”.
De AB a 4 de Junho de 2008 às 10:51
Querida Aninhas felizmente nunca tive nenhuma compulsao nem recaída seja de que genero for depois do internamento. No ultimo dia de hospital claro que chorei de medo, como todas nós, medo do mundo de cá de fora e suas "tentaçoes", mas o conselho da equipa foi dizer-me fixa-me nos olhos "leva-nos sempre no pensamento e dá continuidade lá fora à vitoria que conseguiste cá dentro". sabes o que fiz? sei que é tolo, mas já contei à equipa e até se riram mas resultou: fui logo comprar no 1º dia a louça mais igual possivel à do hospital para sentir que estava no hospital .. lol... e nos primeiros tempos comi às mesmas horas do hospital e tinha sempre aquela ideai presente #faz de conta que estou no hospital"... depois o tempo foi passando e a segurança foi chegando e ficando cada vez maior e hoje toda a equiipa está na cabeça mas sobretudo no coraçao..
eu acho que se nos mentalizarmos duma vez por todas que só encontramos a felicidade numa alimentaçao saudavel e NUNCA mas NUNCA nos disturbios aí sim temos a soluçao.
e tb vamos ter que nos mentalizar qeu a Cura é o caminho de inicio mais dificil, mas que é no dificil que vamos encontrar a Felicidade Plena, então é por aí que temos que ir e nao nos rendenrmos aos prazeres falaciosos e momentaneos da doença.
Qto aos teus colegas, é verdade m querida infelizmente nao sabem do que falam: mil vezes ter dificuldades "logisticas" do que uma "vida doentiamente dupla" destas...
eu por sinal tive as duas dificuldades, mas pronto tá tirado o curso... somos sim fortes em qq dessas circunstancias.
um bj com mt carinho e pf nao me trates por voce pk apesar da diferença de idades eu penso que a doença nos torna um pouco irmas gemeas a quase todas nós..
força semrpe!!
De AB a 4 de Junho de 2008 às 10:57
ah qto ao peso aninhas? tal e qual as previsoes da equipa: ficou-se pelo tecnicamente chamado "peso ideal", com oscilaçoes que nunca vão além dos 2 kls acima do tal peso ideal, tal como eles diziam (podia ir até aos 3 mas ainda nao cheogu lá nem eu quero pk sou mais para o baixo), com IMC de 20,5.
como vês eles escrevem e dizem as coisas com bases cientificas mt solidas, temos mm que acreditar neles, sei que não é facil e eu tive que "ver para crer"... mas eis entao a prova! eu. apenas uma delas, pois mtas existirão por este país fora.
De Aninhas a 4 de Junho de 2008 às 22:56
Pois, faz impressão ler as tuas (até a mim me faz confusão tratar-te por vocês, era só por uma questão de respeito) palavras. É realamente incrivel como esta doença dá luta. Foste uma Mulher à altura! A minha médica fala-me de doentes super super inteligentes que escrevem livros e são as melhores alunas do curso. E incrível como pessoas tão inteligentes não conseguem uma coisa tão simples e básica! E quando saio do hospital ganhaste mais peso? Desculpa as perguntas, mas o medo consome-me. Neste momento é impensável conseguir esse IMC, estou com 16,8 e já n me acho nada magra =/
Falar nisto, agr, contigo faz-me sentir ainda mais futil. A nossa o_meu_outro_eu está a passar tão mal... N sei o que dizer. N encontro palavras...

Obrigada pelo teu belo testemunho.
De AB a 5 de Junho de 2008 às 10:41
e verdade a meu outro eu.. que dor meu Deus.. a mae tem que procurar ajuda imediatamente, pk se para uma pessoa saudavel é dificil ouvir palavras daquelas, imagine-se para "nós"..
qto ao nosso tão "adorado" peso: desculpa hoje até já me rio.. sinal de que nao estou assim tao mal..
mas eu já te disse na msg anterior que depois de sair do hospital ganhei os tais 2 kls que estavam nas previsoes da equipa e que até poderia ir até aos 3, mas que eu evito ir levando uma aliemntaçao racional.
Mas sabes que isso do IMc nao significa gordura: neste momento sei que te estás a ver gorda como eu me via, depois vais passar por uma fase em que vais sentir uma certa gordurinha, mas nao é, é apenas massa muscular. E olha o que eu sempre detestei em mim e achei gordo agora até nem acho imagina: a barriga!! mesmo esquelectica (mas com IMC que nunca veio abaixo de 17 penso eu) sp achei que tinha barriga e agora ela até está mais disfarçada e já nao a detesto tanto (agora já nem me atrevo a usar essa palavra para o meu corpo, agora até já digo que o amo imagina!).
Ainda por cima és alta e todas as meninas que estiveram cmg e eram da tua estatura e com o teu IMC hoje vejo-as lá lindissimas, com o mesmo n~º de claças, tal como eu, só que mais apertadinhas que é como deve ser..
vai com calma, aos poucos se te fores alimentando a tua mente acho que tb se vai tornando mais flexivel e os conceitos de gorda/magra vao-se modificando e aproximando do real.. ainda hoej acredita que vejo pessoas que no fundo dizem que sao mais "gordas" do qeu eu e eu acho-me sempre mais gorda.. mas depois de olhar uma segunda vez já vejo as coisas de outra forma e vejo que realmente as pessoas têm razao qdo dizem que sou magra..só que já nao escanzelada..
bj grande!
qto à nossa inteligencia, parece que somos sim, nao nos damos é esse valor. hoje já começo a dar, mas para isso tb tenho a drª dulce, para me ensinar a viver de novo e a valorizar-me como mulher e como pessoa.
espero que isto te possa ajudar de alguma forma.
força sempre!
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Dados gerais

Tive uma anorexia nervosa com crises bulímicas tratada e cuidada no HUC, onde ainda estou a ser acompanhada. Consegui atingir todos os meus objectivos, sou feliz e deixo aqui o meu testemunho em como é POSSÍVEL acabar com todo o sofrimento e dor que esta doença me trouxe.

.tags

. todas as tags

.Dos que mais gosto

. Feliz

. Férias

. Para ti... sorrio

. Conclusão da consulta

. Sofrida

. É agora ou nunca

. O lobo

. Mudar de vida

. A vida que eu levo

. Pensamentos contraditório...