Um testemunho de como é possível destruir esta terrível doença e ser FELIZ!

.Desabafos recentes

. Vitória

. Feliz

. Dias bons

. Sobretudo medo

. Sobretudo medo

. Aprovada

. O tempo não chega

. Para a frente é que é o c...

. É agora ou nunca

. Indefenida

. O lobo

. Hoje

. Conclusão da consulta

. Com certezas

. Férias

. Aqui... Jamais fingirei

. O início do fim

. Eu mando

. Por favor

. Ao acaso

. Aprender

. Caminhar

. É mesmo possível

. Quem disse que era fácil?

. Mais um passo

.Arquivos

. Junho 2011

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.Outros Blogs

blogs SAPO

.subscrever feeds

Sexta-feira, 23 de Maio de 2008

Aqui... Jamais fingirei

Não preciso de fingir com sorrisos falsos. Sinto-me arrasada, sem expectativas, derrotada. 

Tropecei no atacador que não quis apertar para chegar mais depressa a casa  para agora poder dizer "Não tenho culpa de o sapato se ter desapertado!"

 

<<Mãezinha>>

 

Publicado por Aninhas às 17:26
Link do post | Adicione aos favoritos
De cris a 30 de Maio de 2008 às 09:22
Eu acho que esta doença nos torna muito teimosas porque mesmo quando nos começamos a "cansar" e a aceitar que o mais importante da vida não é ter um corpo perfeito, lá no fundo (e na maior parte das vezes inconscientemente) ainda temos a esperança de o conseguir. No fundo nós não nos sentimos seguras como somos e achamos que a parte fisica pode dar-nos alguma segurança. Mas chegamos a um ponto em que já não conseguimos saber para que lado ir: se por um lado nos achamos demasiado magras, por outro lado temos medo de ficar gordas. E depois estamos tão "habituadas" a restringir a alimentação que pensamos (não conscientemente, mas o cérebro acaba por estar "formatado" para isso) que uma bolacha a mais, ou o que quer que seja, nos pode engordar de um dia para o outro.

Eu acho que nós mexemos no nosso equilibrio e ele deixou de existir. E agora, por mais que tentemos voltar ao que eramos, não o conseguimos completamente, porque já conhecemos outras formas de pensar e de nos comportarmos. É normal o não conseguir deixar de pensar em comida (de inicio), porque esta é uma doença "obcessiva". Enquanto o nosso cérebro não a voltar a aceitar normalmente, o que tentamos fazer é não pensar e quanto mais tentamos não pensar, mais estamos a pensar.

Por isso, a AB (como sempre) tem razão. É necessário seguir um plano, para que o próprio organismo volte a aceitar as refeições "normais". Eu também acho que é muito importante não vomitares (nunca mais), porque senão estás a passar de uma doença para a outra. Quanto ao stress, é verdade que dificulta muito, mas não é só ele o culpado. Eu sei por expriencia própria. Às vezes o ter muitas coisas para fazer até se pode tornar num aliado. A cabeça é que tem que comandar, mas não de forma a querer fazê-lo na perfeição. Deve antes aceitar que essa é a forma de ser uma pessoa "normal", saudável e muito mais confiante.

Aninhas, eu tenho a certeza de que tu vais conseguir. O teu blog foi um dos primeiros que visitei e deu-me muita força. Tu és forte. Não precisas de tentar ser mais perfeita, porque o que é perfeito hoje, deixa de o ser amanhã. aproveita a vida. Não deixes arrastar esta doença, para que não chegues à minha idade a pensar "o que é que eu vivi entre os 23 e os 30 anos???"
De AB a 30 de Maio de 2008 às 12:19
tens toda a razão no que dizes Cris e a tua lucidez mostra que estás a distanciar-te cada vez mais da doença.. e fico mt feliz mas mt felizm mm com isso!! Bj grande!!
Agora um pormenor apenas: eu acho qeu um dos nossos problemas é que somos pessoas de extremos qdo estamso doentes e já não aceitamos o meio termo e no fundo "no meio é que está a virtude" e que é o ser elegante!! i.e. magra mas com saúde! só aceitamos os 2 extremos: demasiado magras ou gordas! então claro que preferimos ficar no 1º estado! mas porque será que nunca nos passa pela cabeça o unico estado que nos deveria passar? o magra mas saudavel, o elegante? é esse que os nossos medicos querem para nós! a nãos er que tenhamos algum problema hormonal, mas isso tb se resolve doutra forma, com alguma medicaçao ou correcçao na alimentaçao.. nunca com esta doença...em que mtas vezes ficam mt mais calorias (no caso da bulimia) - nao nutrientes clao, só calorias, pk quase sempre os nutrientes sao postos fora - cá dentro do que fazendo uma alimentaçao mt mais que completa e rica!
E em relaçao tb ao que dizes cris, nós costumamos pensar realemtne que uma bolacha a mais ou um nico de pao a mais nos fas engordar, mas eu acrescento a isso "irremediavelemnte".. pk no fundo com uma aliemtaçao normal, mm que comamos um dia algo a mais e cometamos algum pequeno exagerosnesse dia, nos dias seguintes se tivermos ganho algum claro que o iremos perder naturalmente, basta voltarmos à alimentaçao do costume.. portanto a ideia que temos quando estmaso doentes de que os "pecados" nao se podem cometer e de que o peso que se ganha não se perde é totalemente errada!
bj e desculpa se vos chateio com isto!
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Dados gerais

Tive uma anorexia nervosa com crises bulímicas tratada e cuidada no HUC, onde ainda estou a ser acompanhada. Consegui atingir todos os meus objectivos, sou feliz e deixo aqui o meu testemunho em como é POSSÍVEL acabar com todo o sofrimento e dor que esta doença me trouxe.

.tags

. todas as tags

.Dos que mais gosto

. Feliz

. Férias

. Para ti... sorrio

. Conclusão da consulta

. Sofrida

. É agora ou nunca

. O lobo

. Mudar de vida

. A vida que eu levo

. Pensamentos contraditório...