Um testemunho de como é possível destruir esta terrível doença e ser FELIZ!

.Desabafos recentes

. Vitória

. Feliz

. Dias bons

. Sobretudo medo

. Sobretudo medo

. Aprovada

. O tempo não chega

. Para a frente é que é o c...

. É agora ou nunca

. Indefenida

. O lobo

. Hoje

. Conclusão da consulta

. Com certezas

. Férias

. Aqui... Jamais fingirei

. O início do fim

. Eu mando

. Por favor

. Ao acaso

. Aprender

. Caminhar

. É mesmo possível

. Quem disse que era fácil?

. Mais um passo

.Arquivos

. Junho 2011

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.Outros Blogs

blogs SAPO

.subscrever feeds

Terça-feira, 8 de Abril de 2008

É mesmo possível

Penso se valeu a pena ter-me enredado nesta doença. Aprendi e cresci tanto que acho que não teria acontecido se nunca tivesse precisado de ajuda psicológica. A mente humana tem muito que se lhe diga.

Sinto-me uma pessoa mais forte e estou a aprender a enfrentar qualquer obstáculo. Quando estiver curada vou conseguir enfrentar tudo sem sentir que o mundo desabou. Já não sou mais uma criança insegura que procura protecção numa mentira.  Sou uma mulher adulta muito mais forte espiritual e emocionalmente. Não vou mais precisar de esconder imperfeições porque estou a aprender a aceitá-las. Estou de mãos dadas com a vida e não pretendo largar, Quero desfrutar de todas as coisas boas e aprender a combater os desafios tornando-me cada dia mais forte e mais segura.

 

Desejo o mesmo a todas vocês.

Eu também acreditava que não conseguia. Vejam o exemplo da AB e da goo0rda. Também estiveram no fundo do poço. E não conseguiram!? Será que posso também dar o exemplo da o_meu_outro_eu? Fico realmente feliz por estarmos a conseguir minha linda =)

Sinto-me: renovada
Publicado por Aninhas às 22:34
Link do post | Comente | Adicione aos favoritos
27 comentários:
De AB a 9 de Abril de 2008 às 10:45
querida teqas nao te conheço nem aos profissionais que te seguem, m,as confesso que agora me fizeste lembrar tanto as minhas antigas consultas com a drª dulce e o medo que tinha dela desitir de mim, como outros já tinham feito, senao explicita, pelo menos implicitamente qdo se apercebiam que a mm força de vontade era pouca ou nenhuma (como se isto nao fosse uma doença da vontade!!!) e diziam que eu estava assim pk queria.. e, pior, quando finalmente encontrei a drª dulce e lhe disse a reacçao foi pessima: "o que vias la fazer?"..i.e. isto so mostra que tinham mm desisitdo de mim há mt e só me estavam a empatar.. hoje nao censuro pk vejo apenas isso como pessoas que ainda nao sabem tratar estas doenças e por isso vos peço sempre que procurem psiquiatras que saibam e tenham experiencia nelas, pk sao esses que, como a drª dulce bouça fez cmg, acreditam em nós por pior que seja a nossa situaçao e que nunca desistem de nós mm qdo nós já desistimos de nós há mt.... qdo mt qdo ela me disse logo na 1ª consulta eu é que podia desistir dela... e hoje vejo que até podia, mas felizmente nao o fiz e só por isso estou como estou!!
Como ela nos dizia no hospital nao o caminho da cura não é facil (talvez seja até mais facil o prazer momentaneo do vicio mas qu esó nos leva à destruiçao ou morte mais ou menos lenta) mas é o caminho dificil o unico que nos leva à felicidade.. esta frase para mim foi de uma importancia tremenda!! pensar e ACREDITAR que ultrapassada aquela fase dificil e resistir aos momentos dificeis de tentaçao, podemos atingir a felicidadade acho que é uma bengala poderosa!!
bjs e desculpa estar sempre a repetir o mesmo.
De teqas a 9 de Abril de 2008 às 11:49
Querida AB,

Não estou com a dra. dulce, mas com um colega da mesma equipa. Chegou uma altura em que me quis internar e eu menti e fugi para não ser. Estava com um imc de 12,9, muito fraca, mas a continuar na faculdade e com as outras mil actividades que sempre tenho em paralelo. Os meus pais também não me forçavam a ir às consultas e quando me senti mesmo sozinha e abandonada, consegui reagir...ainda hoje não sei como, mas isso agora também não importa. O meu psiquiatra disse que nos estávamos a fartar um do outro, porque a unica coisa que eu tinha feito nos anos de tratamento em que estava com ele tinha sido perder peso. Chorei, revoltei-me...achei que era tudo uma mentra enorme para não me dizer que estava farto de mim...Disse-me que eu era das pessoas mais inacessíveis ali e que a minha incapacidade de confiar minimamente em alguém não podia levar a nenhum lado melhor. Hoje já passei essa fase pior, reflecti, pensei muito com a ajuda da minha psicologa, investi toda a minha força das consultas dela e da nutricionista. Hoje o peso ainda não chega, mas pelo menos já está muito mais controlado, e fiz progressos tão grandes que me fazem reconhecer que afinal até existe alguma força aqui dentro.
Houve um dia em que me disseram que a Dra Dulce era a única que me conseguiria "dar a volta", a única tão teimosa como eu mas no sentido da vida. Conheço algumas doentes dela e de vez em quando também a vejo pela clínica. Fico feliz por te mostrares de cabeça levantada, a lutar=)

beijinhos
De AB a 9 de Abril de 2008 às 12:21
Querida teqas resumidademente (penso que ainda nao leste parte da m historia) tinha cerca de 18 anos de doença qdo conheci a drª dulce e ao fim de 4 anos com ela a mentalizar-me, que mm sendo um caso cronico, tinha cura... chegou aquele "timing" e ela conseguiu mesmo, graças ao seu brilhante profissionalismo, persistencia e dira mesmo "teimosia", dar soluçao a um caso de mais de mais de 20 anos de doença ...hoje posso dizer que estou curada, se um dia volto atras isso nao sei, mas já la vao quase 2 anos que saí da doença..
por isso penso que podes acreditar que ela deve ser das poucas que te consegue mesmo dar a volta "a tua doença".. pensa nisso, mas vais ter é que colaborar com ela e nao desistir.. mas isso fico entre voces duas..
bjs
De teqas a 9 de Abril de 2008 às 12:38
Querida AB, houve uma altura em que pensei mesmo ir ter com ela...mas o medo (se calhar de me curar) era tão forte que só de pensar na ideia de "ter de começar tudo outra vez" fez-me desistir da hipótese. O meu psiquiatra nunca me deixou completamente, só espaçámos mais as consultas. continuei, e continuo medicada e cada melhoria minha é vivida por mim e por ele quase com a mesma surpresa...acho que ele nunca me julgou capaz de recuperar até este nível em que hoje me encontro.
Continuo é com um medo enorme e às vezes acho que até é bom que o tenha para não me deixar desviar do caminho que ainda é muito prematuro...Não sei se algum dia vou poder dizer que estou curada...há uns tempos acreditei que sim, hoje tenho muitas dúvidas... recaio ainda muitas vezes apesar de me ter levantado sempre. Vibro coma vossa força, com a tua força! mas não a tenho e por isso há dias em que não sei até quando vou resistir a não seguir o caminho mais fácil...

beijinhos
De AB a 9 de Abril de 2008 às 15:14
tekas eu tb nunca pensei ficar curada e ainda hoje receio dize-lo (pk tenho tanto medo dessa doença que nao quero afronta-la, só quero distancia mesmo), mas perguntei à drª dulce e ela diz que o meu caso foi mesmo de sucesso e que estou curada sim.. custa acreditar mas é verdade!!
aproveitem tb esta verdade da ciencia para tirar um proveito para voces!! tenta saborear cada passo que dás ... mm que haja recaidas acho qeu nunca devemos eskecer as vitorias...

bjs

Comentar post

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Dados gerais

Tive uma anorexia nervosa com crises bulímicas tratada e cuidada no HUC, onde ainda estou a ser acompanhada. Consegui atingir todos os meus objectivos, sou feliz e deixo aqui o meu testemunho em como é POSSÍVEL acabar com todo o sofrimento e dor que esta doença me trouxe.

.tags

. todas as tags

.Dos que mais gosto

. Feliz

. Férias

. Para ti... sorrio

. Conclusão da consulta

. Sofrida

. É agora ou nunca

. O lobo

. Mudar de vida

. A vida que eu levo

. Pensamentos contraditório...