Um testemunho de como é possível destruir esta terrível doença e ser FELIZ!

.Desabafos recentes

. Vitória

. Feliz

. Dias bons

. Sobretudo medo

. Sobretudo medo

. Aprovada

. O tempo não chega

. Para a frente é que é o c...

. É agora ou nunca

. Indefenida

. O lobo

. Hoje

. Conclusão da consulta

. Com certezas

. Férias

. Aqui... Jamais fingirei

. O início do fim

. Eu mando

. Por favor

. Ao acaso

. Aprender

. Caminhar

. É mesmo possível

. Quem disse que era fácil?

. Mais um passo

.Arquivos

. Junho 2011

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.Outros Blogs

blogs SAPO

.subscrever feeds

Segunda-feira, 3 de Dezembro de 2007

Sofrida

Ontem fomos ver a minha tia a Lisboa e aproveitámos para fazer umas compras. Foi um dia profundamente triste.
O meu pai é tão injusto para mim… De manhã começou a gritar comigo, a chamar-me nomes com promessas que faz isto e aquilo, porque já havia pouco Bolo Rei e quando chegou a casa, pronto para sairmos, ainda estava na casa de banho (porque estive a tomar banho e ainda não estava pronta!) e puxei o autoclismo. O que ele interpreta como “estiveste a vomitar!”. Passei a viagem toda de olhos fechados a chorar. Dói tanto, tanto…! Sinto-me tão triste. Ao lanche disse para mim “Deixa passar esta fase de testes que vais ver o que vai acontecer.” Eu perguntei o que estava a pensar fazer e ele disse “Vais começar a entrar nos eixos! Não se admite que não comas um pouco de arroz, carne, nem massa…”. À vinda disse “Os teus pais estão a ficar doentes, nós não duramos para sempre e depois pode ser tarde de mais”, “Ai de ti que ‘arranjes’ uma doença por causa destas parvoíces!”
Eles não sonham o quanto sofro por isto! Não estou a falar do que passo diariamente por causa da doença, mas porque eles são frios comigo. 
Eles só pioram a situação tratando-me assim, estão-me sempre a deitar a baixo. Qualquer coisa que eu digo eles respondem que sou infantil e não sei o que digo. Estivemos a ver de uma botas de cano alto para mim, mas nenhumas me serviam porque me ficavam larguíssimas na perna e ele só dizia “Cresce!” e saía. Se não gostava das camisolas que ele me mostrava dizia que não tenho gosto. Está sempre a dizer mal do meu cabelo dizendo “pareces uma bruxa com este cabelo”, quer a toda a força que corte o cabelo e a minha mãe está sempre a repreender-me por ter as costas tortas. Ontem quando me ia deitar o meu pai era assim para mim “O que é isso que tens aí na cara?” E eu “é uma borbulha” e ele olha para mim a abanar a cabeça com cara de nojo, porque para ele uma borbulha assim é sinal de que ando a vomitar. E foi assim o meu dia.
 

Agora digam-me como é que eu consigo “largar” a doença se me sinto rebaixada e humilhada constantemente pelos meus pais, não tenho nenhuma vida social, não sei se este ano consigo mudar de curso e os meus dias são um inferno? Ando profundamente triste… Mesmo triste percebem? Só me apetece chorar é uma dor tão forte que sinto no peito. São tão injustos…

Sinto-me: triste, humilhada, rebaixada..
Publicado por Aninhas às 13:45
Link do post | Adicione aos favoritos
De andreia fernandes a 4 de Dezembro de 2007 às 22:08
oh miga imagino que não tem sido nada fácil para ti.embora os teus pais reajam assim ,para te fazer ver o q eles querem que vejas ,nos aqui sabemos que não é o melhor caminho.mas eles querem muito mostrar-se frios para que sejas rija e vejas a realidade.teem medo de te perder ,tudo coisas que tu já sabes.optimo seria que te entregasses á ajuda da tua familia que cada vez mais desespera por não te conseguir moldar á maneira que eles mais acham correcto.tu sabes que tudo o q eles te dizem é puro desespero,não sabem lidar com a tua situação ,eles de maneira alguma te querem magoar .dizem-te tudo isso porque axam talvez que ja te disseram de varias maneiras e tu não reagiste ,ora talvez estejam tão desiludidos com eles propios por não te conseguirem ajudar que reagem assim.no meio disto tudo sofres tu e sofrem eles.imagino o quão dificil deve ser uns pais verem a sua filha a viver o que tu tás a viver.mas apesar de tudo isto,tens que te lembrar que á dias bons ,dias maus ,e dias menos bons .tens de erguer a cabeca e teres bem ciente essa tua cabeça os teus pais de maneira alguma te querem magoar.apenas não sabem como chegar até ti, e tu sabes que a pessoa mais impotante na vida és tu....és tu.muitos beijos e força ,muita força
De Aninhas a 5 de Dezembro de 2007 às 12:39
Olá minha linda.
Tens toda a razão e sei que sabes que penso da mesma maneira. Eu venho aqui desabafar aquilo que não posso dzr a mais ng, nem à médica. É aqui que consigo arranjar forças para continuar. É aqui que leio as palavras de pessoas maravilhosas como tu que se esforçam para me ver bem.
N tnh como agradecer! N mereco nada disto. Só consigo agradecer. Tu foste a primeira pessoa que aqui conheci aqui e a que me marcou mais. És fantástica, um exemplo de força e coragem!
Um abracinhooooooo, tu sabes como é? :)
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Dados gerais

Tive uma anorexia nervosa com crises bulímicas tratada e cuidada no HUC, onde ainda estou a ser acompanhada. Consegui atingir todos os meus objectivos, sou feliz e deixo aqui o meu testemunho em como é POSSÍVEL acabar com todo o sofrimento e dor que esta doença me trouxe.

.tags

. todas as tags

.Dos que mais gosto

. Feliz

. Férias

. Para ti... sorrio

. Conclusão da consulta

. Sofrida

. É agora ou nunca

. O lobo

. Mudar de vida

. A vida que eu levo

. Pensamentos contraditório...